segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Perigo Público

*Ou como a Maurília costuma dizer: "Tens mais sorte que juízo!"
A pessoa está de momento a morar sozinha, despertador não toca, acorda tarde, saí de casa já atrasada, esquece-se dos 2 telemóveis e porta-moedas em casa, tranca a porta a correr, mete a chave no saco em que tem a farda e corre para o autocarro.




A pessoa trabalha, trabalha e trabalha.
Chega a hora de sair e a pessoa continua a trabalhar... Até que finalmente pode ir para casa!
Já atrasada para o último autocarro, mete a mão no saco para tirar a chave e o saco tem um buraco no fundo. Pensa melhor, talvez tenha colocado a chave noutro lado, procura em todos os bolsos, na bolsa e já a entrar em pânico decide voltar ao hotel, olhando para o chão sem encontrar nada! Chega ao hotel, entra numa das salas de conferência e despeja todo o conteúdo da bolsa e saco na mesa... Procura, procura e nada... Sem telemóveis e não sabendo número nenhum de cor não pode telefonar aos donos da casa para saber se deixaram alguma chave extra com algum amigo.
Depois a pessoa pensa: talvez a chave esteja na recepção e lá vai ela procurar em todos os cantos da recepção e não encontra nada!
Já quase em lágrimas, uma colega pergunta o que aconteceu e a pessoas responde que perdeu a chave de casa. A colega (coisa mai linda qu'ela é) diz que alguém entregou uma chave no bar do hotel mas que o colega (feio, horroroso, cocó) do bar é que a tinha. Lá vai a pessoa no seu desespero pedir a chave ao barman (parvalhão, estúpido, bidé) que está muito ocupado e não liga ao desespero da pessoa, que não tinha dinheiro para pagar táxi!
Já em desespero de causa a pessoa entra pelo bar adentro e procura a sua chave! Assim que a agarra corre para a paragem de autocarro.
Chega mesmo a tempo e durante a viagem para casa, pensa: foda-se, tava a ver que ia dormir na rua hoje!
Mas a novela não acaba aqui! A pessoa cansada mas descansada chega a casa com uma larica (muito trabalho e nenhum intervalo para comer), entra na cozinha para fazer jantar. Nota que está muito calor na cozinha, vai até ao fogão e descobre que deixou o fogão ligado desde a noite anterior, pr'aí 22h, coisinha pouca... Vá lá que o fogão é eléctrico, de outro modo isto não seria uma novela... Seria uma catástrofe!

É horrível ser assim tão irresponsável...

Vou ali mortificar-me e reflectir sobre a minha pavorosa pessoa...

5 murmúrios:

Ricardo 8 de setembro de 2008 às 02:12  

e o jantar foi bom?

Rui 8 de setembro de 2008 às 02:19  

Próximo passo: queimar o saco com o buraco no fogão!

Inês 8 de setembro de 2008 às 04:54  

Céus! Haja pessoas mais distraídas e azaradas que eu!! (sempre saíste de casa da outra croma?)

nando 8 de setembro de 2008 às 23:13  

Big [].
Ainda que virtual, parece-me que alguém precisa.
:-)

PaLaH 9 de setembro de 2008 às 01:25  

Ricardo: Horroso, sou má cozinheira e a Inês e que tem uma Bimby :op

Rui: próximo passo, comprar um chaveiro do tamanho dum melão.

Inês: I'm the queen of hazard! Ainda estou na mesma casa, as coisas melhoraram: nomeadamente temos horários ocmpletamente diferentes, raramente a vejo! :op

Nando: Thanks! :o)