sábado, 16 de fevereiro de 2008

The One

Poderia dizer the One that got away, mas não. Foi o The One, que eu como estúpida, sent away.
Sei que será um post cheio de clichés mas para mim foi muito verdadeiro.
Era aquele que me amava incondicionalmente, e que eu amava incondicionalmente, aquele que era inteligente, engraçado, talentoso, que sempre que o via sentia aquela tal sensação no estômago, aquele que não era bonito mas que para mim era simplesmente lindo, aquele que não tinha nenhum sentido de moda e eu não me importava nada com isso, por causa dele o som dum certo instrumento musical nunca mais significou o mesmo para mim. Não o via muito mas quando isso acontecia cada minuto era aproveitado ao máximo. E eu decidi acabar por causa daquela coisa parva chamada orgulho.
E depois de alguns anos se o vejo ainda sinto aquela sensação cá dentro e ainda o procuro... Agora não em pessoa mas aqui na net. Ontem encontrei-o e está tão igual a si mesmo, continua feio e lindo para mim, continua a fazer as coisas que sempre gostou de fazer, e eu continuo a sentir-me tão estúpida como na altura.
Ainda penso imenso nele e muitas vezes pergunto-me se ele ainda se lembra de mim, se eu fui tão importante para ele como ele foi para mim...

0 murmúrios: