sábado, 9 de fevereiro de 2008

Não tenho norte

Este título bem poderia ser o título da minha vida actualmente mas não, não estou a falar de metáforas.
Estou a falar mesmo do meu sentido de orientação. Se no funchal a máxima era "para baixo vai dar ao mar", aqui obviamente que não se aplica! Não há vale, não há montanha, não há mar e não há serra (esta foi uma pequena homenagem ao hino da Madeira... Parece-me que as saudades da ilha mais pequena estão a chegar...).
Não consigo orientar-me nesta cidade e apesar de já conhecer o centro às vezes ainda me perco em algumas ruas. Penso que estou a ir para baixo e afinal estou a ir para Norte, penso que se entrar nesta rua vou ter à tal rua e acabo num beco qualquer, se por acaso passo numa rua e só olho para a direita é mais do que certo que se eu voltar a passar lá e só olhar à esquerda não a reconhecerei... Para nem falar sobre atravessar passadeiras, os carros do lado errado (sim, do lado errado) da estrada, das vezes em que ao entrar num carro fui para o lado do condutor e da quantidade anormal de rotundas nesta cidade... Penso que a minha próxima aquisição será um gps.
Agora vou parar de reclamar...

1 murmúrios:

mAuríLia 9 de fevereiro de 2008 às 15:16  

tá forte, tá!!!

com que então a querer ir no lugar do condutor?!...

imagino a reacção do condutor: mas o kié que ´se passa aqui?! tá k'ema tonta? okê??


::

por essas bandas, a pessoa deve de chegar ao fim do dia e ficar com a cabeça às voltas, ando tudo ao contrário!!!