sábado, 22 de dezembro de 2007

É demasiado difícil pensar com nobreza quando pensamos apenas em ganhar a vida

Já disse aqui que estou na contagem final para deixar de trabalhar e a verdade é que estou a cagar-me para o que se passa aqui...
Foram 7 anos, intermitentes é certo, mas 7 anos e ao fim deste tempo, não consegui me "impor" (entre aspas, porque não quero dizer impor no sentido de mandar, nem que só a minha vontade fosse cumprida), refiro-me aquelas coisa simples: respeito, que fosse tida em conta a minha opinião ou até ter os mesmo direitos que as funcionárias mais antigas da empresa. Nunca aconteceu e por isso mesmo é que decidi sair. E só a partir do momento que dei a conhecer a minha decisão é que senti não o tal respeito, mas algum reconhecimento pelo meu trabalho (e como não trabalho numa grande empresa, seria de esperar que ele tivesse chegado muito mais cedo), mas com esse reconhecimento veio também uma atitude tanto da parte dos colegas como dos patrões de rebaixamento porque decidi "emigrar", e o facto de sair sem ter em perspectiva nenhum trabalho pelo menos não tão bom como o que ocupo actualmente. Então dizem-me coisas como: vais para lá para ficar desempregada, para trabalhar em limpeza ou coisas piores que não vou dizer aqui.
Ontem foi jantar de Natal da empresa e mais uma vez repetiram as mesmas frases.
Estou desiludida, mas por outro lado, também estou cada vez mais convencida que tomei a decisão certa.

1 murmúrios:

Nelson 24 de dezembro de 2007 às 00:56  

Por razões várias este post foi uma bela prenda de Natal.

Feliz Natal!