terça-feira, 21 de agosto de 2007

Tudo o que ele sempre quis

A autora tem noção do livro que escreveu, na última página tem um resumo do que foi o livro: "Parece-me ainda uma narrativa melodramática, a história de um homem levemente ridículo, de pouco interesse seja para quem for; mas por outro lado, grande parte da vida (a felicidade, a angústia, as palavras de recriminação, os nossos estranhos acessos de paixão) é tristemente melodramática, na sua natureza, e pouco artificiosa."
Bem, é a história de um homem que admite que a melhor coisa que fez na vida foi amar uma mulher, que por sua vez não o ama. Não é um livro que recomende... A história não é nada de especial nem traz nada de novo.

0 murmúrios: