sábado, 4 de agosto de 2007

Enquanto Salazar dormia está lido

Aqui vai o meu humilde parecer. Conheci o Sr. Domingos Amaral como director da maxmen, essa grande revista que tanto enobrece o panorama editorial português! E gostava do trabalho que lá fazia (gostava, porque já há muito que não compro a revista. Sim, comprava a revista, mesmo sendo para gajos, porque era uma revista verdadeiramente divertida, mas I’ve grown out of it!). Mas voltemos ao livro… Bem, por onde começar? Comecemos pelos aspectos positivos: a lição de história estava bem aprendida, as piadas também lá estavam e a história não é cansativa, lê-se muito bem e praticamente sem intervalos. Os aspectos menos positivos: muitas repetições, repetição de frases, repetição de assuntos, repetição de piadas (tal como esta frase que também tem muitas repetições… Ups e mais uma!), sexo, muito sexo (repetição outra vez) e gaja que é gaja gosta de sexo, claro, mas era sexo ao gosto dos gajos (porque será? Se calhar porque Domingos Amaral é um homem e ainda por cima sendo director da tal revista referida anteriormente, poderíamos dizer que é defeito profissional). Mas o que é sexo à gajo? Ou deveria dizer fantasias de sexo à gajo? Na minha opinião é sexo com duas gajas, é a acompanhante de luxo, é a “aleboa” e outros que tais… E mais importante para mim, a história era um bocado básica… Com alguns bons twists mas minor ones. Os major twists eram muito previsíveis.
E agora voltemos ao meio do Equador e ao Doente Inglês... Porque dois livros ao mesmo tempo é pra mim sexo à gaja? Naaa, mas sei lá, gosto de variar! ;o)

0 murmúrios: